domingo, 27 de outubro de 2013

Escritos coléricos para emoções exasperadas


Fatigada por uma natureza que não se basta em si mesma, sinto-me engolfada por uma constante sensação de incompletude. Os desejos pululam! Antanho o corpo acabrunha e o inconsciente promove arranjos susceptíveis à ações variadas. Daí surge situações que me compelem à ambientes abissais. Os entusiasmos são tolhidos; violentamente cortados na marra e refletidos na face de feições sempre tristes. Então, torna-se comum andar de um lado a outro na vã ilusão de sucumbir ao desatino, de livrar-se da solidão. Esta, inevitavelmente, insiste em se apresentar em ambientes que parecem eternamente lúgubres. Mas, como afirma Dostoievski, “o desespero guarda as volúpias mais ardentes”. Neste ponto, o desespero, a solidão, o desatino, são estados que repercutem em perspectivas abrasadoras; de amores e desamores arrebatadores, de paradoxos...        

sábado, 5 de outubro de 2013

Sobre "O Clube da Luta"

Possui vários eixos passíveis de intermináveis leituras e discussões. No entanto, quero falar somente do personagem do Edward Norton, o Jack. É preciso enxergá-lo em sua totalidade que, antes de tudo, antes do social, começa nele mesmo, é ...individual. Por este viés o clube da luta é o encontro do Jack com o Jack, do homem com o homem. Gestos violentos com os outros? Inicialmente não. A mente projeta, o alter. A violência primeira não é externa. Ou é? A projeção que vai nascendo da falta de sono e da inércia enreda o conflito marcado por ansiedades interiores que vão sendo automatizadas numa vida em que quase nada acontece. Então, a mente de Jack prega-lhe uma peça, encontra uma maneira, cria um mecanismo, para vencer o tédio: adrenalina. Da pressão que o individuo Jack exerce sobre si mesmo surge o personagem do Brad (Tyler) cuja máxima está em mostrar o quão violento pode ser a vida não diante do outro, mas a vida diante de si mesmo. Sozinho! Pulsões, compulsões, impulsões, explosões de fúria, retrações, proibições, funções controladoras que encontram maneiras de sucumbir; que se articulam ao social, mas cujo efeito é elementar no âmbito individual. Neste sentido, Jack chega ao ápice quando percebe que Tyler não existe... Atira na cabeça!

Cúmulo Nimbos

Senhora de eventos pluviométricos intensos. Surge no horizonte em tons acinzentados e seu impacto pode ser devastador. É tão imponente que nem sempre é possível equacionar suas dimensões. Cobre os raios de sol, presenteia com... raios e trovoadas, cria noites e dias nebulosos, gesta tormentas climáticas. Encanta e amedronta, mostra o quão pequeno e frágil é o homem diante das dinâmicas da Terra. O mesmo homem que cria paisagens artificiais é o mesmo que nem sempre tem controle sobre os eventos naturais.

Nerd de coração partido

Tento dar fim a alvura da folha. Pobre folha! Escrevo nela meus pensamentos coléricos, minhas angústias. E, no auge da solidão, que está em mim, que está na folha, tento diálogos. Sofro! Todas palavras me soam mudas. Minto, elas não soam.

Nerd de coração partido

A nerd de coração partido (II)

Rememora e teoriza. Procura os fundamentos do fim. Na maior parte das vezes tem dificuldades para superar. Mas, vencida a desilusão, coisa que pode levar anos, formula mecanismos de defesa. Orna-se com sua armadura imaginária e torna-se, eternamente, uma desconfiada das agruras do amor.